Plantas medicinais disponíveis no SUS serão ampliadas

Medicamentos fitoterápicos no SUS

Desde 2010, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferta mais seis medicamentos fitoterápicos, extraídos de plantas medicinais. No total, a rede pública terá oito medicamentos desse tipo.

Os novos fitoterápicos serão produzidos a partir da alcachofra, aroeira, cáscara sagrada, garra do diabo, isoflavona da soja e unha de gato.

Eles são indicados para tratamento, respectivamente, de dores abdominais relativas ao fígado, problemas ginecológicos, prisão de ventre, dores lombares e artrose, alívio de sintomas e artrite reumatóide.

Distribuição voluntária

Desde 2006, a população encontra na rede pública de saúde medicamentos à base de espinheira santa - para gastrites e úlceras - e guaco - para tosse e gripes.

A distribuição do fitoterápico não é obrigatória, mas 13 estados já aderiram ao Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, de acordo com o Ministério da Saúde. Para ter o medicamento, o estado ou município deve solicitar o recurso ao ministério.

O cidadão tem acesso gratuito ao fitoterápico nos postos de saúde, desde que apresente receita médica.

Plantas medicinais disponíveis no SUS

A Portaria 2.982, publicada em 2009, no seu anexo II, inclui no Elenco de Referência Nacional do Componente Básico da Assistência Farmacêutica:

Espinheira-santa (Maytenus ilicifolia) - cápsula, comprimido, emulsao, solucao e tintura;

Guaco (Mikania glomerata) - cápsula, solucao oral, tintura e xarope;

Alcachofra (Cynara scolymus) - cápsula, comprimido, dragea, solucao oral e tintura;

Aroeira (Schinus terebenthifolius) - gel e ovulo;

Cáscara-sagrada (Rhamnus purshiana) - cápsula e tintura;

Garra-do-diabo (Harpagophytum procumbens) - cápsula;

Isoflavona-de-soja (Glycine max) - cápsula e comprimido;

Unha-de-gato (Uncaria tomentosa) - cápsula, comprimido e gel.